Along With The Gods: The Two Worlds — It's Lizzie



Filmes e Séries

Along With The Gods: The Two Worlds

Esta resenha pode e com certeza contém o temido spoiler.. Depois não diz que não avisei, hein?!

Hey, Lizziers! Ontem eu assisti um filme super legal que indicaram para a minha mãe e eu vim aqui correndo contar para vocês um pouco sobre o filme e o que eu achei dele.

O nome do filme é Along With The Gods: The Two Worlds (신과함께: 죄와 벌), em português é Sozinho Com Os Deuses: Os Dois Mundos. Esse é um filme sul-coreano e que está disponível para alugar ou comprar o filme no YouTube. O filme custa R$ 3,90 para lugar em HD e R$ 19,90 para comprar permanente.

Vamos começar pela sinopse:

Depois de morrer heroicamente e de forma inesperada, o bombeiro Ja-hong é levado para o além por três guardiões. Somente se passar por uma série de provações e provar que era inocente em sua vida, poderá reencarnar.

A sinopse, assim como o trailer, me chamou bastante a atenção. Vocês me conhecem e sabem que eu adoro filmes e séries que tem aquele toque de misticismo e é óbvio que assim que eu assisti o trailer já fui logo alugando no YouTube para assistir e foram os R$ 3,90 mais bem investidos nesse final de semana.

De fato o jovem bombeiro, Ja-hong, morreu de forma heroica e ele demora alguns minutos para entender que está morto; até que ele escuta uma vez chamando ele e ele avista os guardiões. Os guardiões explicam que ele passou desta para a melhor e que começará a trilhar o caminho para o julgamento de suas ações terrenas baseadas nas leis budistas.

Ele começa então a sua jornada para o inferno para que se inicie os julgamentos dos atos de Traição, Violência, Impiedade Filial, Assassinato, Indolência, Trapaça e Injustiça. Os guardiões são os seus advogados e tem a missão de levá-lo para reencarnar rapidamente em até 49 dias.

A principio os guardiões acreditam que ele é espírito modelo e que será fichinha ele passar pelos os julgamentos mas coisas terrenas começam a intervir no além após uma morte de um ente querido do bombeiro Ja-hong.

© Créditos/Reprodução: Along with the Gods: The Two Worlds

Em seu primeiro julgamento, Ja-hong, é julgado pelo assassinato indireto de seu colega, que ficou preso sob os escombros de um edifício durante o incêndio. Os guardiões então começam a advogar para que Ja-hong seja inocente e eles começam então a provar que o colega dele pediu para que ele salvasse as pessoas primeiro. Ja-hong tentou voltar para salvar o colega mas foi impedido por outros bombeiros pois o edifício estava prestes a desmoronar e de fato desmoronou. O juiz, o deus do assassinato, absolveu o Ja-hong.

Após o seu primeiro julgamento, Ja-hong prossegue para o próximo julgamento na segunda corte que é sobre a Indolência. Os guardiões aconselham ele a não argumentar com a rainha da Indolência mas ele abre a boca e fala que trabalhava apenas por dinheiro. A rainha então o sentencia para o castigo e diz que ele se arrependerá de ter servido o deus do dinheiro; começa então a corrida contra o tempo para que os guardiões apresentem as provas, momentos da vida terrena de Ja-hong, de que ele não era ganancioso e que trabalhava 24 horas todos os dias para sustentar a mãe e o irmão. A rainha o absolve.

© Créditos/Reprodução: Along with the Gods: The Two Worlds

Então, Ja-hong e os guardiões prosseguem para o próximo julgamento mas começam a serem atacados por criaturas famintas e drásticas mudanças no mundo do além; como desmoronamentos, nevascas e tudo mais que se pode imaginar. Essa drástica mundo do além tem um motivo e esse motivo é que um parente de Ja-hong morreu e se transformou em um espírito vingativo.

O líder dos guardiões, o Gang-rim, decide ir ao mundo terreno para descobrir quem morreu e como a pessoa morreu. Enquanto isso o trio, os dois guardiões e o bombeiro, prosseguem para os julgamentos seguintes.

Ja-hong pensa em sua mãe a todo instante e o seu maior arrependimento foi não tê-la visto antes de partir e isso tem um forte motivo. Para Ja-hong reencarnar ele terá que passar por todos esses julgamentos, certo?Mas quase que ele se vai direto pro beleléu no último julgamento. Minha gente, é uma emoção atrás da outra.

© Créditos/Reprodução: Along with the Gods: The Two Worlds

Esse filme nos faz refletir e muito sobre como as nossas ações terrenas, por mais pequenas que sejam, podem interferir em nossa vida espiritual.

E sim, o filme possui uma continuação e se chama Along With The Gods: The Last 49 Days (Sozinho Com Os Deus: Os Últimos 49 Dias) e em breve irei resenhar aqui para vocês também.

E vocês, já assistiram um filme assim? O que acharam da resenha do filme? Vocês me indicam algum filme para assistir? Me conta aqui nos comentários ou me mande um e-mail, Lizzie@itslizzie.space, eu amo quando vocês me mandam e-mails ♥

5 respostas para “Along With The Gods: The Two Worlds”

  1. Ainda não vi esse filme, mas fiquei super curiosa. Tirar um dia para assistir com a minha mãe também, eu gosto muito desses filmes com jornadas e que nem tudo é o que parece.
    beijos

  2. Confesso que não gosto de produções que envolvem misticismo e sobrenatural, mas esse filme além de parecer ter uma fotografia e uma história boa, como você disse, ele traz ensinamentos para que o telespectador reflita. Indico que você assista a animação O Inferno de Dante, pois também se trata de caminhos pós morte e tem ótimas reflexões, além de ter sido baseado em um livro clássico.
    Ahhh e tu sabe que eu não me importo com spoilers, haha.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥
    ✩ Participe do Top Comentarista de Abril!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Hello!

Oi! Eu sou a Lizzie e este é o meu espaço na blogosfera. Sou uma aquariana que estuda idiomas e assiste dramas asiáticos. Ah, e eu sou a rainha das gambiarras Saiba mais!