Diário de uma quarentena: Parei no tempo? — It's Lizzie



Lizzie

Diário de uma quarentena: Parei no tempo?

São Paulo, 23 de Maio de 2020

Eu já perdi as contas de quanto tempo estamos em casa, continuo orando e pedindo à Deus que tudo isso passe e que a primavera chegue.

Agora são uma e doze da manhã. Era para mim estar dormindo com o meu namorado mas a insônia me encontrou novamente e a cumprimentei como uma boa e velha amiga; agora estamos bebendo um bom chá enquanto escrevo estas palavras em um pedaço de papel que encontrei perto de mim.

Sinto que estamos todos um pouco Bukowski: Não era meu dia. Não era minha semana. Não era meu mês. Não era meu ano. Não era a porra da minha vida.

Olho minhas fotografias de quando éramos todos livres e sinto que deveria ter aproveitado mais vezes para sair de casa e conhecer novos lugares ou até mesmo ter frequentado mais vezes os lugares que eu gostava. Estou sentindo falta daquele milkshake delicioso de Ovomaltine do Bobs e de andar na loja Americanas no shopping apenas para comprar chocolate ou algum livro em promoção. Não imaginava o quão dificultoso e complicado seria para mim estar em uma quarentena, afinal sempre fui uma pessoa caseira e lugares abarrotados de pessoas tendem a me incomodar.

A raiz de meus cabelos estão enormes e passo quase todos os dias da semana com meus confortáveis pijamas. Os aviões não estão subindo e descendo como de costume e nem o trem está apitando ás onze horas como de costume. O mundo está silencioso ou foi eu que parei no tempo?

Sinto-me indisposta há vários dias. Alguns dias são leves como a brisa de verão que toca o meu rosto e outros dias são cinzas como as tempestades vindas do sul. Alguns dias o meu mar fica agitado e tropeço em minhas antigas falhas e pensamentos negativos que me causam sensações de angústia e medo.

O Lhuã e eu estamos maratonando filmes durante essa quarentena e eu anoto todos em uma folha de caderno, que guardo dentro de um dos meus livros favoritos, inclusive os filmes da qual paramos pela metade. Apesar de estarmos distantes fisicamente, momentos assim em que passamos juntos são os mais preciosos para mim e me fazem um bem danando; o que me faz querer casar com ele mesmo com toda essas pandemia ao redor do mundo. Seria muita loucura? Bom, talvez mas a vontade de tê-lo perto é maior. Ele é a minha calmaria e meu porto seguro!

Eu continuo os meus estudos de Coreano e agora estou revisando a gramática do Inglês. Alguns dias são produtivos e outros nem tanto mas sempre tento mentalizar que está tudo bem em não ser produtiva o tempo todo com toda esta confusão que está acontecendo ao redor do mundo.

Este período de quarenta também está me fazendo analisar minha personalidade e assim me tornando uma versão melhor de mim mesma.

E como está sendo a quarentena de vocês? Me contem aqui nos comentários, vamos conversar um pouco ♥

Beijos,

Lizzie

21 respostas para “Diário de uma quarentena: Parei no tempo?”

  1. Poxa miga, é péssimo quando bate essa ansiedade 🙁
    Mas que bom que tem assistido a filmes com seu namorado e estudando. Mas também é bom ficar sem fazer absolutamente nada.
    Eu tenho tentado aproveitar esse momento da melhor maneira possível e torcido muitoo pra que essa fase passe logo e possamos beber milkshake de Ovomaltine no Bobs e andar na loja Americanas ♥

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

  2. Lizzie, têm dias que são difíceis mesmo. E é o que você falou: tá tudo bem! A gente nunca passou por isso e é normal se sentir assim. Quando bate um desespero, sempre lembro do que o Dr. Drauzio Varella disse: nenhuma pandemia dura para sempre. Vai passar! ♥ A gente vai fazendo o que dá e a nossa parte, na medida do possível. ^^ E logo logo a gente vai voltar às livrarias, lojas, cinemas e tal. Matando a saudade de pessoas importantes, enfim… Talvez de uma forma mais adaptada, mas acho que com o tempo, nos acostumamos! 🙂

    Beijos, Carol
    http://www.pequenajornalista.com

  3. Esses dias estão ‘meh’ que sei lá. Que bom que você está conseguindo estudar e tudo mais, e tão louco pensar na rotina de antes como algo tão distante.
    Eu estou tentando não me conhecer muito durante a quarentena, senão fico com vontade de me bater kk
    beijos

  4. Oi Lizzie, essa situação é mesmo muito surreal, né? E é bem assim mesmo, alguns dias são melhores, outros piores… O negócio é ir levando e torcer para isso acabar LOGO. Fique bem! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Hello!

Hey! Eu me chamo Elizabeth, com z e th, mas você pode me chamar de Lizzie. Apesar de ter nascido em meados do século XX eu não faço idéia do que fazer na vida; então eu escrevo histórias, estudo e assisto dramas asiáticos. Ah, eu sou a rainha das gambiarras Saiba mais!